ausência

A cada mão senti meus pés cada vez mais aterrados. O querer controlar, o medo, o pânico são consequências da falta de presença. E esse trabalho trata a causa e não o sintoma, por isso tem sido um processo intenso e enriquecedor. 

 

Não existe atalho. É preciso encarar e atravessar, incluir o medo na trajetória. Tudo que negamos que existe, aumenta. Através de cada mão vou ressignificando meus medos.

 

Foi preciso ficar parada para compreender a importância de estar aqui.

Ativação na  Casa Voa

2018  | Rio de Janeiro