currículo

:: Participação na SP Foto 2019 pela

Bianca Boeckel Galeria | ago 2019

:: Participação no evento Nike + Authentic Feet para a Copa de Futebol Feminina. Obra individual + obra colaborativa com Naty Edenburg e Thasya Barbosa. Curador: Luis Maluf | jun 2019

:: Curso contínuo Encontros e Reflexões com Iole
de Freitas EAV | mai 2019

 

:: Participação na SP Arte 2019 pela

Bianca Boeckel Galeria | abril 2019

:: Exposicão individual na Bianca Boeckel

Galeria | mar 2019

:: Palestra e exposição no relançamento da

marca Cicatricure Brasil | fev 2019

::Casa voa - Exposição coletiva | dez 2018

::Leilão Beneficente - ONG Move Rio| dez 2018

:: Acompanhamento da exposição Arte

Aproxima no Museu Nacional de Belas

Artes | nov 2018

:: Palestra e exposição na Convenção de

Líderes Rede D’or | ago 2018

:: Templo - Exposição Cura | jun 2018

::Curso Conversa Voa (Casa Voa) |
Acompanhamento 
de trabalhos artísticos | jun-dez 2018

::QGuai - Exposição Entre | mar 2017

Cada detalhe importa. A carioca Gabi Gelli transborda sensibilidade. A artista de 23 anos descobriu na adolescência uma condição congênita no coração que mudou sua vida. Caçula de uma família de criativos, Gabi buscou ressignificar seu trauma por meio da arte, de forma intuitiva e despretensiosa. Foi nesse momento que surgiu o projeto das cicatrizes - Instante para sempre -, do desejo de proporcionar para outras pessoas a ressignificação de suas dores. Sua vontade de conhecer o ser humano faz com que seus processos partam sempre de uma visão pessoal, que depois ganha alcance geral e holístico. 

 

Seu trabalho, por assim dizer, é uma grande ferramenta de autoconhecimento e, por isso, carrega muita verdade e autenticidade. Sua primeira exposição, Cura (2018), explorou a trajetória do trauma até sua ressignificação. Em 2019, dedicou-se à exposição individual Entretempo, na Galeria Bianca Boeckel, em São Paulo, e participou das feiras SP-Arte e SP-Foto. Gabi ainda foi convidada por empresas como Rede D’Or de hospitais e Genomma Lab, fabricante do gel cicatrizante Cicatricure, para dar palestras sobre seu projeto Cura, e como a trajetória que propõe pode se relacionar com traumas pessoais e até mesmo empresariais.

artist statement

Acredito que a arte é um meio de comunicação poderosíssimo, e a percebi como a minha melhor forma de expressão. É uma grande ferramenta de autoconhecimento que me permite atravessar experiências pessoais com a observação de si. Experiências essas que, se transformadoras, são levadas ao outro. Desenvolvendo projetos através da empatia, a chance de emocionar, impactar e quem sabe, transformar a vida das pessoas é maior. O verbo ressignificar permeia por todos os trabalhos. O uso de diversos materiais - cerâmica, linha, tecido, concreto, ataduras -, está a serviço do conceito.

 

Tenho interesse no trauma, na dor e na morte. Abordar temas difíceis de maneira leve. Todo grande crescimento vem de uma grande dor, e a melhor maneira de sair da dor é atravessando-a. Não existe atalho. É preciso encarar e incluir o medo na trajetória. Tudo que negamos que existe, aumenta, tudo que olhamos com amor, diminui. O meu trabalho vem para acolher a dor.